27 de fevereiro de 2013

Sobre a tragédia em Santa Maria


Hoje completa um mês da tragédia que chamou a atenção de todo o mundo.
Muitos aproveitaram da situação como um jogo de publicidade, outros como para ganhar Ibope, alguns para sensacionalismo, e já certos cidadãos aproveitaram para criticar.
O que mais me irritou nesse dia foram 'cristãos' atirando pedras nessas pessoas (que já não estão mais vivas, e não escutaram nem sequer se defenderam) e se sentindo os reis da cocada preta e se sentindo maioral pelo fato de 'ter mais Deus e não terem morrido'
Vi algo que um pastor postou e não deixei de admirar. Parece que ele tirou tudo o que estava em minha garganta.
Segue sua postagem:

"Que evangelho é esse?

Ainda estou pensando no que ocorreu na madrugada do último domingo em Sta Maria-RS, sei que já falaram muito sobre o assunto e as vezes não sabemos mais onde termina a informação e começa o sensacionalismo nos nossos telejornais, mas me permita fazer uma rápida reflexão sobre o ocorrido e como isso mexeu com meu coração.
Fiquei sabendo do que houve logo as 5:30hs da manhã, quando dirigia meu carro em direção ao escritório da nossa igreja para buscar meus filhos adolescentes, Vitor e Rafael, pois chegavam de uma viagem muito especial. Foram, pela segunda vez, participar do TeenStreetBrasil, um encontro de adolescente que acontece anualmente em Maringá PA. Estava ansioso por reencontra-los e sabia que trariam na bagagem de suas vidas muitas experiências especais. Daquelas que a gente obtém em encontros, acampamentos e coisas do tipo. 
A noticia me pegou de surpresa, as rádios já estavam falando em 150 mortos, inicialmente, não entendi muito bem, mas aos poucos fui compreendendo que estavam falando de 150 pessoas mortas e que os números poderiam aumentar, como de fato aconteceu. 
Durante o dia, fui me inteirando do assunto e uma grande tristeza tocou conta do meu coração. Saber que se tratavam de jovens, cheios de sonhos e que pela manhã, tive a oportunidade de reencontrar meus filhos, fez com que alguns pensamentos, que você deve imaginar, passassem pela minha cabeça. Que privilégio te-los bem ao meu lado. E que difícil estaria sendo o dia daqueles que perderam o seus.
O domingo, passou, a segunda também e aquela enxurrada de informações parecia não terminar. Mas também apareceram muitas perguntas: Como podemos evitar que isso aconteça novamente? Como deixaram isso acontecer? e a mais recorrente de todas: De quem é a culpa de tudo isso? Tvs, Rádios, sites, amigos de botequim, vizinhos, enfim; todos queriam encontrar um culpado. Creio que em nossa humanidade isso seja normal. Sempre queremos encontrar uma razão, uma desculpa ou um culpado. E as especulações foram postas a mesa.
Uns diziam, a culpa foi dos músicos que acenderam aquele sinalizador, ou seja lá o que for. Outros colocavam a culpa na casa de shows, que não apresentava saída de emergência adequada. Talvez a culpa seja dos governantes, que não proporcionam a devida fiscalização, ou ainda dos seguranças que não deixaram os jovens saírem de lá pois precisavam pagar a comanda. Palpites, opniões, deduções… Peritos em segurança nos programas de TV, expressavam seus conhecimentos técnicos e falavam com veemência sobre normas de segurança e dos riscos de não serems erguidas. Enfim, muitos culpados foram apontados. 
Mas, me constrangeu profundamente ver que alguns, usando as mídias sociais, apontaram como culpados, aqueles que foram as vitimas e tão somente vítimas. Isso mesmo, jovens que morreram na flor da idade, pais e familiares que perderam as pessoas que tanto amavam foram apontados como culpados. 
Em frases como: Se estivessem na igreja não teriam morrido! Isso aconteceu por falta da educação dos pais! Essa pessoas apresentaram sua total falta de humanidade perante os fatos ocorridos. Estamos falando de gente que se intitula seguidor de Jesus Cristo, servos de Deus, abençoados por Jesus, ungidos… e ai vai.
Me senti envergonhado por ser cristão e saber que pessoas que confessam a mesma fé que eu tenham essa reação que posso qualificar como absurda. Acho que esqueceram que o Jesus que dizem seguir acudiu a mulher pega em flagrante adultério (João 8: 1-11) e na contra mão de todos os presentes não a acusou, mas a perdoou, amando-a. Que certo dia o Jesus, que dizem seguir, foi de encontro a uma mãe que perdera seu filho querido (Lucas 7:11-16) e cheio de misericórdia ressuscitou o tão amado filho. Que o Jesus, que afirmam seguir, compartilhando a dor das irmãs de seu querido amigo Lázaro (João 11) chora sua morte e o traz de volta a vida. Que Jesus curou dos enfermos, deu pão aos miseráveis, acudiu os necessitados e amou os perdidos. Que Jesus ensinou a nós que deve ser assim. Que devemos amar. Amar incondicionalmente. Amar, apesar de. Amar e amar. Definitivamente, precisamos olhar para esse mundo com mais amor e compaixão. Não porque sejamos melhores, pois pela graça fomos salvos, mas porque ser cristão e ser humano é isso.
Esses mesmos acusadores sem misericórdia, se esquecem que crente também morre, também se acidenta, também fica doente e que isso acontece em nossa igrejas que pegam fogo, tem seu telhado derrubado, passam por enchentes e muitas outras coisas que demonstram que esse argumento é estapafúrdio e pequeno, sendo somente útil para demonstrar a falta de compaixão que enche os corações. Esses mesmos, se colocam no seu auto-altar, como escolhidos de Deus e se julgam protegidos de qualquer coisa do tipo pois tem sobre si uma “cobertura espiritual“ que os faz intocáveis, e do alto de sua vaidade olham para os meros mortais e dizem: Que sorte que sou crente!
Precisamos nos lembrar que filho de crente também erra. Que educamos em amor, mas muitos escolhem caminhos de morte e que entre eles estão filhos de pastores, criados na igreja. Penso nesses pais, que enterram seus filhos, que não tem mais lágrimas pra chorar, que estão esperando ao lado da uma cama sem saber se amanhã ainda terão um filho(a) para pedir a Deus por ele. Que loucura é essa? Que me permite ver a dor e desespero dos outros e não ter compaixão? 

Ainda não entendo, isso, me dói e me espanta. E na minha ignorância e pequenez me pergunto: Que evangelho é esse?"



Somente lamento por terem pessoas assim que se acham superiores e pensarem que são donos da verdade sujando mais ainda o Cristianismo.
Que Deus conforte cada coração partido.

Nenhum comentário: